Aprendizagem por imitação: a importância da comunicação positiva no desenvolvimento dos jovens

Aprendizagem por imitação: a importância da comunicação positiva no desenvolvimento dos jovens

Muitas vezes os pais não têm noção da importância da comunicação positiva! Isto acontece essencialmente porque os jovens aprendem por imitação. E o que é que isso quer dizer?

De forma simples, tão somente que tudo aquilo que fizer, será feito de forma similar pelos seus filhos!

Deste modo, se costuma ser uma pessoa com pensamento positivo, o seu filho irá ser uma pessoa positiva e que consegue sempre ver uma aprendizagem nas adversidades.

Porém, se for uma pessoa mais negativa, um pouco mais violenta ou brusca na forma como fala, isso também irá ser aprendido por ele (levando muitas vezes a comportamentos de risco).

Assim, hoje resolvemos abordar a importância da comunicação positiva e da comunicação não violenta para o correto desenvolvimento dos jovens e adolescentes!

Importância da comunicação: O que é e como funciona a comunicação positiva

A comunicação positiva ou comunicação não violenta é aquela que é baseada na empatia e no respeito mútuo entre todos os participantes.

A mesma favorece a compreensão e aceitação das mensagens de uma forma mais simples. A par disso, é importante ter em mente que a mesma combina a linguagem verbal e não verbal.

Assim sendo, a comunicação positiva acaba por levar em conta um grande conjunto de fatos, que de forma simples levam a uma melhoria de relacionamento entre todos os intervenientes.

Este tipo de comunicação deve ser tido na escola e no centro de estudos, mas principalmente em casa. Isto porque, os pais são o modelo padrão de comportamento de uma criança.

Uma vez que as crianças aprendem essencialmente por imitação, as palavras, gestos, comportamentos e atitudes que forem tidas ao seu redor muito provavelmente vão ser repetidas ao longo da sua vida!

E, temos a certeza que quer que o seu filho se guie pelas ações positivas (em detrimento das negativas).

Modelo de comunicação não violento – O que fazer

É importante ter em mente que o nosso comportamento é regido por 5 princípios básicos:

  1. Ser amado
  2. Ser reconhecido
  3. Ser elogiado
  4. Ser útil
  5. Ser livre

Quando um ou mais destes princípios nos são negados, acabamos por nos tornar pessoas mais violentas. Assim, quando estamos chateados ou frustrados, é normal que utilizemos com os nossos filhos um modelo de comunicação com perguntas que incitam a violência.

  • Deves querer levar um estalo
  • Vai para o teu quarto e não saias de lá para nada
  • Saí imediatamente daqui
  • Vou chamar o teu pai
  • Dá-me a caderneta para informar os teus pais sobre esta situação

Este tipo de comunicação, contrariamente ao que possamos pensar, irá ressoar na mente dos jovens. E, consequentemente, à primeira oportunidade, eles vão falar com outra pessoa exatamente da mesma maneira. Será que é realmente isto que queremos ensinar aos nossos filhos?

Pense que ao adotar uma comunicação positiva e não violenta com os seus filhos, vai estar a promover:

  • Crescimento pessoal, responsabilização e autenticidade
  • Competências de escuta, empatia e autonomia
  • Promoção de paz de espírito e equilíbrio emocional
  • Partilha e cooperação

Dicas para implementar uma comunicação consciente

Depois de perceber a importância da comunicação positiva, damos-lhe algumas dicas por onde pode começar. Tenha em mente que o intuito passa essencialmente criar relações verdadeiras, e permitir que as verdadeiras necessidades sejam expressadas.

  • Não coloque exigência emocional nos seus pedidos (ou seja, não faça com que o seu filho faça algo por medo)
  • Peça para ele repetir de forma a ter a certeza que percebeu tudo
  • Expresse empatia
  • Esteja atento às necessidades das crianças (colocando as mesmas à frente de qualquer tipo de frustração que possa ter)
  • Toda a comunicação deve ser feita tendo por base a comunicação positiva

A par destas dicas, existem mais 4 pontos importantes que pode implementar na sua vida de forma a garantir uma comunicação empática:

  1. Observe sem fazer julgamentos
  2. Verbalize sempre os seus sentimentos
  3. Perceba quais as necessidades em vez de utilizar estratégias
  4. Peça em vez de exigir

Esperamos que com todas as dicas que lhe fomos dando ao longo deste artigo seja muito mais simples implementar a comunicação positiva em casa. Lembre-se sempre que os jovens aprendem por imitação, logo, é sua responsabilidade garantir a não violência.

 

ações positivas, aprendizagem nas adversidades, centro de estudos, comunicação consciente, comunicação não violenta, comunicação positiva, comunicar, educação positiva, elogie, eme, melhoria de relacionamento


Somos um centro de estudos em telheiras, onde o nosso foco é a sua Família e os desafios com que se depara. Assim, oferecemos-lhe uma resposta especializada, multidisciplinar e flexível, adaptada aos seus horários e necessidades.